Conteúdo sugerido

Os criadores do Freeduino (www.freeduino.org) o definem como "uma forma livre do Arduino", por conta do seu desenvolvimento descentralizado. Não existe um time de desenvolvimento do Freeduino, nem ninguém a quem se pedir permissão: qualquer pessoa, em qualquer lugar, pode desenvolver e produzir um produto Freeduino. A ideia é constatar o que aconteceria se o Arduino fosse um projeto de hardware de distribuição e produção livres. Segundo eles, o experimento é um sucesso. Um pessoal de Toronto, no Canadá, por exemplo, modificou os arquivos do Freeduino, trocando a porta USB por uma serial com conector DB9 e agora o produto é vendido pela Internet.

O Freeduino lança arquivos de circuito impresso baseados em Arduino e provê um nome, enquanto outras pessoas fazem o resto. A NKC Electronics, por exemplo, desenvolveu o Freeduino USB, uma placa compatível com o Arduino Diecimila que é vendida em forma de kit para que o próprio usuário possa montar. Para montar o kit, é preciso soldar uma série de componentes, exceto o chip FT232RL (conversor serial-USB), o fusível PTC e o conector mini USB B, que já vêm pré-soldados por serem componentes de solda de superfície (SMD), cuja técnica de soldagem é mais complexa. É importante ressaltar que, além do kit, são necessárias algumas ferramentas, a saber: um ferro de solda, um pouco de estanho para solda e um multímetro.

O primeiro passo para montar um Freeduino USB da NKC Electronics é identificar e separar os componentes.

http://mcukits.com/2009/03/12/assembling-the-freeduino-board-kit/

http://concurrency.cc/freeduino/parts-check.html


Os componentes que serão montados e os pontos que devem ser observados:

img_publicacao_usu_16_2f52241a12dacab1a5


Atividades recentes