História da Robótica


Primeiros Passos

Documentos datados de 1495 revelam um cavaleiro mecânico que era, aparentemente, capaz de sentar-se, mexer seus braços, mover sua cabeça, bem como seu maxilar. Leonardo Da Vinci teria desenhado o primeiro robô humanóide da história. Uma onda de histórias sobre autômatos humanóides culminou com a obra Electric Man (Homem Elétrico), de Luis Senarens, em 1885. Desde então, muitos robôs surgiram, mas a maioria servia apenas como inspiração, pois eram meras obras de ficção e ainda muito pouco podia ser construído.


De 1920 a 1985


60jAO.png

Marcos históricos de 1920 a 1985

O Tortoise, um dos primeiros robôs móveis, foi construído em 1950 por W. Grey Walter, e era capaz de seguir uma fonte de luz desviando-se de obstáculos. Em 1956, George Devil e Joseph Engelberger abriram a primeira fábrica de robôs do mundo, a Unimation, fabricante da linha de braços manipuladores Puma (SHIROMA, 2004).

Em 1952, a Bell Laboratories alavancou o desenvolvimento da eletrônica com a invenção do transistor que passou a ser um componente básico na construção de computadores e quebrou inúmeras restrições quanto ao desenvolvimento da robótica. De 1958 a 1959, Robert Noyce, Jean Hoerni, Jack Kilby e Kurt Lehovec participam do desenvolvimento do CI - Circuito In- tegrado que ficou conhecido como "Chip"e incorpora em uma única pastilha de dimensões reduzidas várias dezenas de transistores já interligados, formando circuitos eletrônicos com- plexos (WIDESOFT, 2006).

Enquanto essas tecnologias iam entrando em cena a Inteligência Artificial, cuja popular e inicial definição foi introduzida por John McCarty na famosa conferência de Dartmouth em 1955 - "fazer a máquina comportar-se de tal forma que seja chamada inteligente, caso fosse este o comportamento de um ser humano." (INTELIGêNCIA, 2006) - se desenvolve com bastante velocidade.


De 1985 a 2006

Segundo Arkin (ARKIN, 1998), para realizar pesquisas em robótica, robôs devem ser cons- truídos. Trabalhando com projetos de pesquisa baseados em apenas simulações perdem-se muitos detalhes. A construção de robôs era muito complexa e nas décadas de 1960 e 1970 havia muitas restrições. Por causa disso alguns robôs que surgiram nessa época são pontos notáveis da evolução cibernética.

pIPqE.png
Marcos históricos de 1985 a 2006


Como exemplos de projetos que superaram essas dificuldades cita-se:
Sharkey, um robô construído no Instituto de Pesquisas de Stanford no final dos anos 60 (NILSSON, 1969). Ele era capaz de sentir e modelar o ambiente ao seu redor, planejar tra- jetórias e executar ações programadas no computador;
Hillare do Laboratório de Automação e Análise de Sistemas (LAAS) de Toulouse, França, construído em 1977. Um robô que pesava 400Kg e era equipado com três rodas. Podia se movi- mentar para qualquer lado transitando autonomamente por corredores. Utilizava um sistema de visão computacional, sensores ultra sônicos e detectores de distância a Laser (GIRALT, 1984) et al;
E Stanford Cart, uma plataforma robótica usada por Moravec para testar a navegação usando um sistema de visão estéreo (MORAVEC, 1977);

O avanço da micro-eletrônica veio popularizar os sistemas computacionais e na década de 70 começaram a surgir os sistemas de processamento central em um único chip como o 4004 e o 8080. A tecnologia MOS em 1975 introduziu mais velocidade de processamento. Após a chegada do Z80 que surgiu em 1976, integrando 8000 transistores em uma única pastilha (MICROSISTEMAS, 2006), surgiu o conceito de microcontrolador que possui embu- tido em um único chip não só um sistema central de processamento mas diversos periféricos como memória, conversores analógico-digital, barramentos de comunicação, etc.

A partir da década de 80 a robótica vem avançando em grande velocidade e dentre inúmeros projetos o ASIMO iniciado em 1986 pela Honda Motor Co. (ARIK, 2006) (HONDA INC., 2006), cujo nome não foi criado em homenagem ao escritor de ficção científica Isaac Asi- mov mas é derivado de "Advanced Step in Innovative MObility" Figura 2.3; O Qrio (SONY INC., 2006) da Sony; e o Robonaut criado pela Nasa para auxiliar astronautas da Estação Espacial Internacional na execução de atividades extraveículares; são citados por serem robôs, humanóides, concebidos para interagir com seres humanos.

O Laboratório de Inteligência Artificial do Instituto de Tecnologia de Massachusetts desen- volveu o Cog (MIT, 2006), um robô que interage com seres humanos e aprende como uma criança.
No intuito do desenvolvimento da Inteligência Artificial e da Robótica surgem competições robóticas fornecendo desafios e problemas onde várias tecnologias e metodologias são com- binadas para obter os melhores resultados. Dentre elas a RoboCup (RoboCup, 2006) teve sua primeira versão a nível mundial em 1997.

Com o projeto de exploração de marte (NASA, 2003) a NASA construiu 2 robôs geólogos, Opportunity e Spirit, que pousaram em marte em 8 e 25 de julho de 2004 respectivamente. Eles enviam imagens, analisam rochas e crateras e procuram sinais de existência de água no planeta vermelho.


Conteúdos relacionados

Imagem Principal

No description for object of class

Descrição

AntigaNovaDiferenças
1717
1818<h2>De 1985 a 2006</h2>
1919
20 <p>Segundo Arkin (ARKIN, 1998), para realizar pesquisas em robótica, robôs devem ser cons- truídos. Trabalhando com projetos de pesquisa baseados em apenas simulações perdem-se muitos detalhes. A construção de robôs era muito complexa e nas décadas de 1960 e 1970 havia muitas restrições. Por causa disso alguns robôs que surgiram nessa época são pontos notáveis da evolução cibernética.<br><br><img src="http://i.imgur.com/pIPqE.png" alt="pIPqE.png"><br><br>Como exemplos de projetos que superaram essas dificuldades cita-se:<br>Sharkey, um robô construído no Instituto de Pesquisas de Stanford no final dos anos 60 (NILSSON, 1969). Ele era capaz de sentir e modelar o ambiente ao seu redor, planejar tra- jetórias e executar ações programadas no computador;<br>Hillare do Laboratório de Automação e Análise de Sistemas (LAAS) de Toulouse, França, construído em 1977. Um robô que pesava 400Kg e era equipado com três rodas. Podia se movi- mentar para qualquer lado transitando autonomamente por corredores. Utilizava um sistema de visão computacional, sensores ultra sônicos e detectores de distância a Laser (GIRALT, 1984) et al;<br>E Stanford Cart, uma plataforma robótica usada por Moravec para testar a navegação usando um sistema de visão estéreo (MORAVEC, 1977);<br><br>O avanço da micro-eletrônica veio popularizar os sistemas computacionais e na década de 70 começaram a surgir os sistemas de processamento central em um único chip como o 4004 e o 8080. A tecnologia MOS em 1975 introduziu mais velocidade de processamento. Após a chegada do Z80 que surgiu em 1976, integrando 8000 transistores em uma única pastilha (MICROSISTEMAS, 2006), surgiu o conceito de microcontrolador que possui embu- tido em um único chip não só um sistema central de processamento mas diversos periféricos como memória, conversores analógico-digital, barramentos de comunicação, etc.<br><br>A partir da década de 80 a robótica vem avançando em grande velocidade e dentre inúmeros projetos o ASIMO iniciado em 1986 pela Honda Motor Co. (ARIK, 2006) (HONDA INC., 2006), cujo nome não foi criado em homenagem ao escritor de ficção científica Isaac Asi- mov mas é derivado de "Advanced Step in Innovative MObility" Figura 2.3; O Qrio (SONY INC., 2006) da Sony; e o Robonaut criado pela Nasa para auxiliar astronautas da Estação Espacial Internacional na execução de atividades extraveículares; são citados por serem robôs, humanóides, concebidos para interagir com seres humanos.<br><br>O Laboratório de Inteligência Artificial do Instituto de Tecnologia de Massachusetts desen- volveu o Cog (MIT, 2006), um robô que interage com seres humanos e aprende como uma criança.<br>No intuito do desenvolvimento da Inteligência Artificial e da Robótica surgem competições robóticas fornecendo desafios e problemas onde várias tecnologias e metodologias são com- binadas para obter os melhores resultados. Dentre elas a RoboCup (RoboCup, 2006) teve sua primeira versão a nível mundial em 1997.<br><br>Com o projeto de exploração de marte (NASA, 2003) a NASA construiu 2 robôs geólogos, Opportunity e Spirit, que pousaram em marte em 8 e 25 de julho de 2004 respectivamente. Eles enviam imagens, analisam rochas e crateras e procuram sinais de existência de água no planeta vermelho.<br><br><b>Referências:</b><br></p>
 20<p>Segundo Arkin (ARKIN, 1998), para realizar pesquisas em robótica, robôs devem ser cons- truídos. Trabalhando com projetos de pesquisa baseados em apenas simulações perdem-se muitos detalhes. A construção de robôs era muito complexa e nas décadas de 1960 e 1970 havia muitas restrições. Por causa disso alguns robôs que surgiram nessa época são pontos notáveis da evolução cibernética.<br><br><img src="http://i.imgur.com/pIPqE.png" alt="pIPqE.png"><br><i>Marcos históricos de 1985 a 2006</i></p>
 21
 22<p><i><br></i>Como exemplos de projetos que superaram essas dificuldades cita-se:<br>Sharkey, um robô construído no Instituto de Pesquisas de Stanford no final dos anos 60 (NILSSON, 1969). Ele era capaz de sentir e modelar o ambiente ao seu redor, planejar tra- jetórias e executar ações programadas no computador;<br>Hillare do Laboratório de Automação e Análise de Sistemas (LAAS) de Toulouse, França, construído em 1977. Um robô que pesava 400Kg e era equipado com três rodas. Podia se movi- mentar para qualquer lado transitando autonomamente por corredores. Utilizava um sistema de visão computacional, sensores ultra sônicos e detectores de distância a Laser (GIRALT, 1984) et al;<br>E Stanford Cart, uma plataforma robótica usada por Moravec para testar a navegação usando um sistema de visão estéreo (MORAVEC, 1977);<br><br>O avanço da micro-eletrônica veio popularizar os sistemas computacionais e na década de 70 começaram a surgir os sistemas de processamento central em um único chip como o 4004 e o 8080. A tecnologia MOS em 1975 introduziu mais velocidade de processamento. Após a chegada do Z80 que surgiu em 1976, integrando 8000 transistores em uma única pastilha (MICROSISTEMAS, 2006), surgiu o conceito de microcontrolador que possui embu- tido em um único chip não só um sistema central de processamento mas diversos periféricos como memória, conversores analógico-digital, barramentos de comunicação, etc.<br><br>A partir da década de 80 a robótica vem avançando em grande velocidade e dentre inúmeros projetos o ASIMO iniciado em 1986 pela Honda Motor Co. (ARIK, 2006) (HONDA INC., 2006), cujo nome não foi criado em homenagem ao escritor de ficção científica Isaac Asi- mov mas é derivado de "Advanced Step in Innovative MObility" Figura 2.3; O Qrio (SONY INC., 2006) da Sony; e o Robonaut criado pela Nasa para auxiliar astronautas da Estação Espacial Internacional na execução de atividades extraveículares; são citados por serem robôs, humanóides, concebidos para interagir com seres humanos.<br><br>O Laboratório de Inteligência Artificial do Instituto de Tecnologia de Massachusetts desen- volveu o Cog (MIT, 2006), um robô que interage com seres humanos e aprende como uma criança.<br>No intuito do desenvolvimento da Inteligência Artificial e da Robótica surgem competições robóticas fornecendo desafios e problemas onde várias tecnologias e metodologias são com- binadas para obter os melhores resultados. Dentre elas a RoboCup (RoboCup, 2006) teve sua primeira versão a nível mundial em 1997.<br><br>Com o projeto de exploração de marte (NASA, 2003) a NASA construiu 2 robôs geólogos, Opportunity e Spirit, que pousaram em marte em 8 e 25 de julho de 2004 respectivamente. Eles enviam imagens, analisam rochas e crateras e procuram sinais de existência de água no planeta vermelho.<br></p>