Conteúdo sugerido

Levando em consideração a necessidade de enviar comandos, receber e enviar informações, realizar tarefas em cooperação com robôs observamos a necessidade de desenvolver sistemas de comunicação entre indivíduos, robôs e ambos. 

Para isso inventamos protocolos de comunicação, técnicas de envio e recepção de sinais, dentre outras coisas. Estudem os conteúdos relacionados, mas antes de mais nada vamos ...


Conceituando a Comunicação
O verbo vem do latim communicare, que significa participar, fazer, saber, tornar comum. Quando se comunica alguma coisa, ela se torna também dos que a recebem naquele momento. Pode ser considerada como a forma mais básica de interação, é o que rege as relações humanas. É e foi de extrema importância para o homem no decorrer da história, pois tem como principal “moeda de troca” a informação.
“Mas o termo comunicação, com o tempo, perdeu toda a nitidez conceitual e adquiriu significados muito amplos e variados. Pode se aplicar o termo hoje a tudo o que signifique contato, ligação, relação, união, passagem, além de diálogo, entendimento, contágio e convívio”. (PEREIRA, 2005)

Será então que ligar a TV é comunicação? e ler uma placa de sinalização? É um debate que vem tirando essa ideia de uma comunicação exclusivamente “homem-homem”.

Modelos de Comunicação
Um dos modelos mais básicos e completos seria:
2utNp.png

Entretanto é importante ressaltar que para existir a comunicação é preciso que haja a intenção de comunicar e a correta interpretação da informação. 


CLASSIFICAÇÕES DA COMUNICAÇÃO HUMANA [retirado de PEREIRA, 2005]
“Classificação 1
Existe a comunicação do dia-a-dia, a comunicação ESPONTÂNEA informal entre as pessoas, através da fala, do gesto, do telefonema, da carta. E existe a comunicação PROFISSIONAL. A atividade do jornalista, do publicitário, do desenhista, escritor, fotógrafo. A diferença é que a ÚLTIMA exige aprendizado técnico e teórico. Há 4 formas distintas de comunicação PROFISSIONAL no mercado. Elas se distinguem pela finalidade, pelos objetivos.
Comunicação persuasiva – representada pela propaganda, pela publicidade, pelo discurso político. Seu objetivo é persuadir, convencer, vender uma idéia.Comunicação artístico-cultural – representada pelo cinema, teatro, novela, rádio, show, circo, folclore. O objetivo é o entretenimento, a cultura e a arte. Literatura, poesia, pintura, escultura e todas as artes tradicionais.
Comunicação Jornalística – representada pelo jornal, revista, TV, rádio, pelas agências de notícias. O objetivo é informar o que acontece, de acordo com o critério público do fato.
Comunicação educativa – representada pelos livros didáticos, pelos telecursos, pelas aulas, palestras, cursos de línguas. O objetivo é ensinar, transmitir conhecimento.Classificação 2
Segundo o órgão sensorial usado pelo receptor para capturar a mensagem, existe, naturalmente, 5 categorias de comunicação humana:  visual, sonora, tátil, olfativa e gustativa.  

Classificação 3
Segundo a quantidade de pessoas envolvidas no processo da comunicação:

Intrapessoal – Ex.: agenda, diário, lembrete na porta do quarto.
Interpessoal – Ex.: conversa entre dois colegas.
Intragrupal – Ex.:alunos elegendo o representante de turma
Intergrupal –  Ex.: entre turmas de alunos, bancadas de partidos, nações.
Comunicação de Massa – Ex.: mensagens dirigidas ao grande público por meio do rádio, TV, cinema, jornal, revista.

Classificação 4
A comunicação humana pode ser direta – emissor e receptor de frente um para o outro – e indireta, quando o emissor está distante do receptor e precisa usar um meio artificial (carta, telefone, e-mail, rádio, televisão) para alcançá-lo.

Classificação 5
Para que haja comunicação, evidentemente não é preciso que o receptor responda ao emissor, ou seja, que exista uma troca de mensagens. Você pode mandar uma carta, um e-mail, e não obter resposta. Quando a comunicação é de mão única, ou pelo menos quando o emissor emite muito mais do que recebe (um general falando à tropa) temos a comunicação unidirecional. Pelo contrário, a comunicação bidirecional é aquela de mão dupla, em que a participação do emissor e do receptor é mais ou menos equivalente (conversa, reunião, debate).

Classificação 6
A comunicação humana pode ser dividida em particular ou fechada (entre namorados, por exemplo), e pública, ou aberta (comício na praça, televisão).”

História da Comunicação
Analisando a história da comunicação, Jean Cloutier propõe quatro momentos da História da Comunicação:

Interpessoal/Familia – O Tempo da Oralidade
Essa fase, sendo a mais “primitiva”, está ligada ao começo da história humana, a partir do momento que o homem começa a se comunicar, seja por meio de pinturas que “guardam” as informações do dia ou por meio da linguagem corporal (e posteriormente a falada) o alcance da comunicação é limitado ao aspecto visual. A este momento pode ser comparada a estrutura educativa familiar que para se comunicar a longa distância tem que deslocar-se, fato perceptivel disso é a “memoria temporal” da época, que são os contadores de história.


Elite / Escola - O tempo da escrita
Com o aparecimento de outras formas de comunicação (esquemas, desenhos, música e escrita mais posteriormente) surge o momento da comunicação de elite, que desaguará nas como organizações, deixando a família de ser a única forma de aprendizagem. O aparecimento do papiro, papel, pergaminho e afins faz com que se vença o espaço do tempo na passagem da informação, tanto que muitos consideram que a escrita deu início à história, quando se tornou possível o armazenamento de conhecimento numa grande escala.

Massa / Escola Paralela - O tempo da tipografia
Com o desenvolvimento da insdústria houve um imenso desenvolvimento tecnológico e nesse meio foi inventada a imprensa, a partir daí o livro se massifica como objeto de consumo, passa a ser produzido emlarga escala e a ser acessível a todas as classes. É a tão falada “comunicação de massas”, a escola deixa de ser a única fonte de transmissão de conhecimento, que passa agora a vir de todo lugar: televisão, rádio, jornais, revistas etc.


Individual / Auto-formação – o tempo dos self-media
O Autor dessa classificação designou esse quarto momento da comunicação como “comunicação individual” que decorre principalmente da tecnologia e globalização que atingiram patamares nunca imaginados. Nesse período o homem passa a ter acesso a todo o conhecimento e a poder exprimir-se através de todo um conjunto de tecnologias. Se torna emissor/receptor e construtor de seu conhecimento, através de uma aprendizagem “autônoma”.

Fonte: http://proferon.blogspot.com.br/2009/09/comunicacao-conceito-e-classificacao.html


Atividades recentes